Quando quero falar de amor nem adianta
Porque penso em você todo o tempo
Pra isso admito: sou mesmo uma anta.

Não consigo nem me concentrar,
Vejo você na praia, na cama, no mar.
Talvez seja essa a idéia de amar?

Não consigo definir o amor, de fato
Pra mim é um conceito muito abstrato
Tão difícil quanto equilibrar vários pratos

Mas, porém, contudo, todavia
Apesar de toda essa agonia
Percebo aquilo que já sabia

É você que não faz que me esqueça
Quando de amor pensa minha cabeça
Na verdade é lembrança à beça

Seu rosto sorrindo, suas lágrimas chorando
Nossos corpos se unindo, e o suor brotando
Tudo assim mesmo no gerúndio
Porque não vejo isso acabando

Acho que estou chegando a conclusão
Do que o amor faz menção
Esteve todo o tempo bem próximo, então

Como um cobertor que me aquece
Do frio, da solidão, do esquecimento
Seu amor me mantém 100%

Se não sei falar de amor, é porque não preciso saber
Você é minha musa inspiradora
Basta lembrar de ti, Arianne